A comunidade mora em mim

Desde que eu me reconheço por gente, vivo as relações como caminho.


Minha intuição diz que tudo começou bem do começo, mas do começo mesmo.


Ter uma irmã gêmea é uma experiência muito espiritual. Eu acredito ser uma das formas mais concretas de viver na matéria a experiência do somos um.


De fato, a fertilização de um único óvulo que se divide formando dois embriões não é pouca coisa, temos que concordar. É muita beleza vindo da fonte.


Essa conexão me ensinou a compartilhar, num nível muito profundo e não racional. Desenvolveu em mim uma capacidade de me colocar no lugar do outro, de mediar, de comunicar.