Ao sonharmos, quem sonha em nós?

No Voador compomos por meio de nossa imaginação e ao mesmo tempo, somos composição. Testemunhamos no brincar das crianças imagens de liberdade, de construção, de conexão. Pinceis, martelos, cantos. Observamos nas nossas dinâmicas a vida e o trabalho se entrelaçando, nas nossas relações o eu e o outro abrindo caminhos comuns. Acessos, encontros, trilhas. Aprendemos com a natureza nossos tempos e movimentos. Ciclos e reinos.


Imaginamos.


Imaginamos os cenários e os personagens, e a partir dos nossos roteiros imaginados, criamos. Ao mesmo tempo, sentimos fortemente que somos imaginados. Sentimos, sabemos e honramos uma força maior nos guiando nessa condução de nós mesmos e dessa comunidade.


Essa força da vida que tanto já teve sido contada pelos folclores e todas as mitologias, estudada pelas filosofias e venerada pelas artes.


Com humildade e honra pedimos licença para entrar nesse reino imaginal, terra de todos nós, e trazermos essa linguagem, falarmos de imaginação.


Com a benção de poetas e filósofos, inspiração de Gaston Bachelard, Emanuele Coccia, Gandhy Piorski e tantos outros que se nutrem e nos nutrem do imaginário, abrimos essa série de textos em nosso blog, "O imginário e a poética da vida como ela é", para tocarmos as imagens que nos habitam.


E no instagram, aos domingos, nos perderemos nos sonhos e devaneios. Posts como se estivessemos deitados com os braços cruzados atrás da cabeça, observando as nuvens passando e dando a elas formas e nomes. Nos acompanha?


"Feito uma nuvem

Lembrando um cavalo

Ou talvez dinossauro

Ou um carro de ré"


Música Cachorro - Rubel

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo